quinta-feira, 15 de julho de 2010

Escapulário (Marrom) de Nossa Senhora do Carmo



A Ordem do Carmo é uma Ordem Religiosa que desde a sua origem se distinguiu como uma Ordem eminentemente Mariana: o nosso título jurídico é este: Ordem dos Irmãos da Bem-Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo. Prova desta índole Mariana da Ordem do Carmo está exatamente na existência da primeira capela dedicada a Nossa Senhora construída no Monte Carmelo. AIí naquela capelinha, nasceu entre os Carmelitas, o seu amor e sua devota veneração a SS. Virgem Maria. A nossa devoção a Maria foi crescendo no correr dos anos, criou raízes na Ordem e fora dela e ganhou um impulso extraordinário em meados do século XIII - com a aparição de Nossa Senhora a São Simão Stock entregando-lhe o seu Escapulário.



  1. O que é o Escapulário de Nossa Senhora do Carmo? O Escapulário de Nossa Senhora do Carmo é um sinal externo de devoção a Nossa Senhora, que consiste na Consagração a SS. Virgem mediante a sua recepção e inscrição na Ordem do Carmo, na esperança da proteção materna de Maria! O Escapulário de Nossa Senhora do Carmo é um Sacramental, isto é, segundo a Doutrina do Vaticano II: Um sinal sagrado segundo o modelo dos Sacramentos, por meio do qual se obtém efeitos sobretudo espirituais pela intercessão da Igreja (Documento Sacrosanto Concilio do Vaticano II, n 60).

  2. Origem do Escapulário - No início do século XIII (1207) nascia no Monte Carmelo na Palestina a Ordem do Carmo, reconhecida e aprovada pelo Papa lnocêncio IV em 1247. Os Eremitas do Monte Carmelo foram logo obrigados a imigrar-se para a Europa. E mesmo na Europa não foram muito bem acolhidos em razão do seu estilo de vida diferente de outras Ordens Religiosas e foram até ameaçados de extinção. Em meio à angústia e sofrimentos o Superior Geral São Simão Stock, suplicava com insistência a ajuda e proteção da SS. Virgem com esta oração:

Virgem do Carmo,

Vinha florida,

Esplendor do Céu,

Virgem Mãe incomparável,

Doce Mãe, mas sempre Virgem,

sede propícia,aos Carmelitas,

Õ Estrela do Mar!


Conforme firme tradição, São Simão Stock teve uma visão em 1251, apareceu-lhe Nossa Senhora, trazendo em sua mão o Escapulário dizendo: Meu filho muito amado, eis o Escapulário que será distintivo da tua Ordem. Aceita-o como um penhor de bênção que alcancei para ti e para todos os membros da Ordem do Carmo. Aquele que morrer piedosamente, vestido com este Escapulário, participará da eterna salvação! Nós chamamos isto de grande promessa.

Em 1951, a Ordem do Carmo comemorou o 70 Centenário deste Dom de Maria aos Carmelitas. Nessa ocasião, o Papa Pio Xli escreveu aos Carmelitas uma Carta Apostólica, dizendo: Na verdade, não se trata de um assunto de pouca importância, mas trata-se da consecução da vida eterna em virtude da promessa feita, segundo a tradição, pela SS. Virgem. A importância do santo Escapulário como uma veste Mariana, é prenda e sinal da proteção da Mãe de Deus. Mas que não pensem aqueles que se revestem do Escapulário que possam alcançar a salvação eterna, entregando-se à inércia e à preguiça espiritual (Pio XII 6 de março de 1950).

A partir da aparição de Nossa Senhora a São Simão Stock, esta devoção Mariana foi criando corpo espalhando-se pela Europa e fora da Europa, por toda a parte, tornando-se uma devoção muito popular.

  • O significado simbólico do Escapulário do Carmo - Ao se revestir do Escapulário durante a vida é bom que se saiba o seu profundo e rico significado simbólico como pertença e afiliação a Ordem do Carmo, com a obrigação de viver conforme a sua espiritualidade e o seu carisma; quem dele se reveste, deve ter sempre presente a 55. Virgem, procurando imitá-la em suas virtudes; viver e agir como Ela o fez e, como Ela fazer sempre a vontade de Deus. O Escapulário do Carmo é um Memorial de todas as virtudes de Maria. Todos nós, religiosos e leigos, que nos revestimos do Escapulário, estabelecemos um vínculo de amor a Maria, pertencemos à sua família. O Escapulário - Memorial da Virgem - deve ser visto como um espelho de humildade e castidade. Pio XII, em sua carta, exortou os fiéis a que vejam, em sua forma tão simples, um compêndio de modéstia e candura, e que vejam nele como um simbolismo da oração com a qual se invoca o auxílio divino e que, enfim reconheçam nele a Consagração ao Sacratissimo Coração da Virgem Imaculada.

  • A proteção maternal de Maria - A SS.Virgem, através dos séculos, sempre manifestou a sua poderosa proteção a todos os fiéis devotos que se revestem do Escapulário durante a vida contra todos os perigos do corpo e da alma, além da proteção ao morrer na graça de Deus; é proverbial, entre os Carmelitas, esta sentença referente aos que usam o Escapulário: Na vida protejo, na morte ajudo e depois da morte salvo. (Pio XII, 6 de agosto de 1950).

(Texto acima pesquisado no site: http://www.pcse.org.br/)



Abaixo, outras explicações...
(retiradas do site www.newadvent.org e traduzidas por Jhúnior Cazetta no site: http://nossasenhora.carissimus.com)


Também conhecido como Escapulário Marrom, esse é o mais popular, o mais celebrado e o mais divulgado entre os Escapulários pequenos. Ele é provavelmente o mais antigo entre os Escapulários e serviu de protótipo para os outros. De acordo com a santa tradição, a Bem-aventurada Virgem Maria apareceu a São Simão Stock em Cambridge, Inglaterra, no domingo 16 de julho de 1251. Essa aparição se deu em resposta pela súplica clamada à Ordem que passava por opressões. A Virgem lhe apareceu com um Escapulário nas mãos e disse: “Querido filho, tome esse Escapulário para a Ordem como um sinal de minha Confraria e, para todos os Carmelitas, um especial sinal de graça e proteção; qualquer um que morrer com essa vestimenta, não sofrerá as punições do fogo eterno. Esse é um sinal de salvação, um salvaguarda nos perigos, uma promessa de paz e de comprometimento”.

No entanto, a tradição do Escapulário Marrom aparece de forma mais clara pela primeira vez em 1642, quando as palavras da Bem-aventurada Virgem Maria foram publicadas em uma circular reproduzindo escritos de São Simão Stock que ditou a seu secretário de Ordem e confessor, Peter Swanyngton. Mesmo que não haja provas e testemunhos sustentados em documentos históricos, ainda sim, os resíduos de seu conteúdo tem uma confiável e santa tradição, em outras palavras, é digno de fé que São Simão Stock fora visitado de uma maneira sobrenatural e obteve especial proteção da Bem-aventurada Virgem Maria para toda sua Ordem e também para todos aqueles que usassem o hábito Carmelita. A Santíssima Virgem prometeu também dar uma especial assistência na hora da morte para todos aqueles que, em santa fidelidade, usarem esse hábito em sua honra ao longo da vida, agindo assim, serão preservados do inferno. E, mesmo que haja aqui direta referência aos membros da Confraria do Escapulário, a promessa é estendida a todos aqueles que, com devoção para com a Mãe de Deus, usarem seu hábito ou símbolo como cristão verdadeiro até a morte e ser plenamente entregue como se fosse filiado a Ordem dos Carmelitas.

Não temos nenhum testemunho documental que prove que o Escapulário Marrom pequeno era conhecido na segunda metade do século XIII e que fora dado aos membros da Confraria de Nossa Senhora do Monte Carmelo. Mas sabemos que sua forma, como hoje o conhecemos vem sendo preservada desde o século XVI. Zimmerman (Mon. hist. Carmelit.) e Saltet dão razoáveis fundamentos a essa aparição mariana. Sabemos bem que o Escapulário foi muito difundido em países europeus no final do século XVI, como é evidenciado em “La Crônica Carmelitana” do Carmelita Joseph Falcone (Piacenza, 1595). Em 1600, apareceu em Palermo o “Giardino Carmelitano” do Carmelita Edidio Leoindelicato da Sciacca (a aprovação é datada de 1592). No final, o autor dá a fórmula de benção para o Devoti della Compagnia Carmelitana (pp. 239 sqq.). Essa é a mais antiga fórmula de benção para o pequeno Escapulário.

Todavia, devemos admitir que o Escapulário pequeno de Nossa Senhora do Monte Carmelo, originado muito antes do começo do século XVI, nos referindo ainda a promessa acima, é designada aos primeiros privilégios do Escapulário Carmelita sendo que tal tradição e graça foram claramente aceitas pela Santa Igreja. O privilégio se estende a todos aqueles que nutrem uma verdadeira veneração e amor para com a Virgem Maria e, constante e piamente, usarem o Escapulário com espírito de fidelidade e confiança. Oficialmente acolhido pela Igreja, ela mesma permite que toda família cristã faça uso desse Santo Hábito sob a especial proteção da Mãe de Deus. A Santa Igreja quer promover e apreciar essa especial benção mariana para o corpo físico e também para a alma em momentos de turbulência e crise para que, os que se vestirem com ele, possam gozar ainda no tempo dos tessouros eternos. A todos nós pecadores, ao usarmos este símbolo da Mãe de Deus ao longo da vida como fiel servo, sem arrogantemente contar com ele como um miraculoso amuleto, mas verdadeiramente confiar no poder e bondade de Maria, poderemos seguramente esperar dEla uma poderosa e materna intercessão junto a Deus e ter, assim, toda graça necessária para a verdadeira conversão e perseverança no bem. Tal é o significado e importância do primeiro privilégio do Escapulário Carmelita, que é tradicionalmente acostumado a ser definido pelas palavras: “aquele que usar o Escapulário até a morte, será preservado do inferno”.

Em referência ao dito acima, o segundo privilégio do Escapulário Marrom é chamado de privilégio sabático. Essa graça é doada a todos aqueles que usarem o Escapulário piamente durante a vida e, ao morrer, receberá a visita da Santíssima Senhora no primeiro sábado seguinte a sua morte para ser libertado do Purgatório para o Céu.

Com relação a forma externa do Escapulário, ele deve ser constituído de dois segmentos de tecido aveludado marrom, mas, no entanto, o preto também é admitido. Para o uso desse Escapulário, é relevante que em um dos seguimentos esteja a imagem de Nossa Senhora do Monte Carmelo, mas nem essa, nem qualquer outra imagem, é prescrita para o mesmo. A lista autêntica de indulgências, privilégios e indultos da Confraria do Escapulário do Monte Carmelo foi provada oficialmente em 4 de julho de 1908 pela Sagrada Congregação das Indulgências. É digno de atenção que seu resumo não diz nada em relação ao privilégio sabático, mas ele é acreditado tradicionalmente pelos simples fiéis ao longo de todos esses séculos. Em referência a outra proteção milagrosa frequente que Maria, por conta desse seu símbolo, tem dado aos santos membros da Confraria do Escapulário é a proteção da alma e do corpo quando em grande perigo. Existem muitos testemunhos evidentes e confiáveis (alguns de tempos recentes).

Assim como o Rosário, o Escapulário Marrom de Nossa Senhora do Carmo tornou-se o símbolo do devoto católico e do verdadeiro servo de Maria.



Nenhum comentário:

Postar um comentário